Articulação Temporomandibular

As articulações Temporomandibulares, também conhecidas como ATMs são as articulações que fazem a ligação entre a mandíbula (maxilar inferior) e o crânio. Estas articulações são complexas porque permitem a combinação de 2 tipos de movimentos rotação e deslizamento necessários para a realização de movimentos de abertura e de fecho da boca essenciais na mastigação, deglutição, fala, sorriso e bocejo; pelo que a nossa equipa tem de assegurar que está em boa condição.

Para conseguirmos movimentar a articulação, usamos os músculos cervicofaciais, que através da contração e relaxamento permitem que consigamos falar e mastigar.

Disfunções Temporomandibulares – o que são?

As disfunções ou desordens temporomandibulares constituem um grupo de patologias que envolve os músculos da mastigação, a ATM e estruturas associadas, afetando entre 5 e 12% da população, principalmente mulheres entre os 20 e os 45 anos.

Por ser uma zona tão complexa do corpo humano, e dado ter uma origem multifatorial, muitas vezes é difícil de diagnosticar este tipo de disfunções.

Sinais e Sintomas

Os sinais e sintomas mais comuns são a dor orofacial, os ruídos ou crepitações da articulação e a limitação e desvios nos movimentos mandibulares, que quando não tratados, podem comprometer as atividades diárias e a qualidade de vida dos pacientes.

Causas

A sua causa raramente é única, sendo normalmente considerada de origem multifatorial e individual sendo considerados como fatores etiológicos as desordens do sono, o stress físico, emocional e oclusal.

Existem várias razões para que se criem disfunções da articulação Temporomandibular, que podem ser distintas de paciente para paciente. Entre as principais causas estão:

  • Bruxismo – apertar e ranger dos dentes;
  • Tensão Muscular ou tensão emocional (stress);
  • Traumatismos na Mandíbula (como por exemplo acidentes de viação);
  • Patologias articulares (como por exemplo artrites);
  • Problemas de Oclusão;
  • Infecções Locais ou Sistémicas.

Procure cuidados médicos se sente dores ou sensibilidade elevada na mandíbula, ou se não a conseguir abrir ou fechar por completo a boca.

Bruxismo

O bruxismo é definido como uma atividade repetitiva dos músculos mastigatórios caracterizada pelo apertamento ou ranger dos dentes e/ou compressão da mandíbula. Tem duas manifestações distintas: Bruxismo do sono (ou noturno), que são atividades musculares

mastigatórias que ocorrem durante o sono e Bruxismo de vigília (ou diurno), caracterizado como apertamento repetitivo dos dentes e/ou compressão da mandíbula. É uma das principais causas de disfunções Temporomandibulares.

O diagnóstico do bruxismo pode ser feito de forma subjetiva pelo

auto-relato de ranger dos dentes ou pelo parceiro, bem como pelo exame clínico através da avaliação de vários sinais como o desgaste dos dentes, o trauma das mucosas e da língua, entre outros.

A dificuldade em diagnosticar disfunções na ATM, advém de os mesmos sintomas estarem presentes em várias patologias orais. Quando o recebermos na Clínica Cerejeira e Leão, iremos começar por lhe pedir que preencha um formulário relatando o seu historial clínico, os seus sintomas e quando é que começou a notá-los, seguido de um exame de diagnóstico.

Para auxiliar o diagnóstico inicial é necessário recorremos a certos

Exames, entre eles:

  • Ortopantomografia;
  • Tomografia Computadorizada às Articulações Temporomandibulares;
  • Ressonâncias Magnéticas às Articulações.

Em alguns casos, os sintomas de Disfunção Temporomandibular podem desaparecer sem tratamento. Se perdurarem, a Dra. Joana Sardinha, responsável pelos tratamentos de DTM (Disfunção Temporomandibular) na Clínica Cerejeira e Leão, pode recomendar uma série de tratamentos, baseados na condição física e oral de cada paciente. Entre estes tratamentos estão:

  • Uso de Goteiras Oclusais – placas de acrílica removíveis, quase transparentes personalizadas a cada paciente com o objetivo de alterar a oclusão dentária e evitar movimentos que possam prejudicar a saúde oral;
  • Equilíbrio oclusal (com desgastes seletivos, reabilitação oral e tratamento ortodôntico, sempre que necessário);
  • Tratamento cognitivo comportamental;
  • Fisioterapia com alongamentos;
  • Exercícios e massagem nos músculos da mastigação;
  • Aplicação da toxina Botulínica – popularmente conhecida como “botox”. Esta toxina produz um bloqueio nas terminações nervosas levando à redução da contração muscular sendo útil para uma série de condições onde existe um excesso de contração muscular. É aplicada em vários músculos faciais e mastigatórios, incluindo os músculos masseter, temporal e outros que podem estar associados com a DTM, podendo notar-se resultados 48 horas depois do tratamento;
  • Tratamento Farmacológico.

O objetivo do tratamento é a redução de condições inflamatórias, o alívio da dor crónica e a recuperação da função.

  • Cirurgia da ATM reserva-se para situações muito específicas.

A melhor prevenção para a DTM é seguir um estilo de vida saudável reduzir o nível de stress, evitando deste modo a tensão muscular, que está entre as principais causas da disfunção temporomandibular. Outras sugestões da Dra. Joana Sardinha é evitar a sobrecarga na articulação, reduzindo comportamentos orais como:

  • colocar a língua entre os dentes;
  • morder a língua, as bochechas ou os lábios;
  • morder objetos, tais como cabelo, cachimbo, lápis, canetas, dedos, unhas;
  • reduzir a utilização de pastilha elástica;
  • prestar atenção à postura especialmente em situações que exijam concentração, trabalho minucioso, tempo excessivo em frente ao computador ou muita tensão em determinados desportos.
  • criar todas as condições para um sono reparador.

Marque agora a sua consulta

Contactos